terça-feira, 29 de novembro de 2011

27 de Novembro – Mais um treino de inverno

O domingo amanheceu com um frio típico de inverno. Pouco depois das 9h, estávamos já a pedalar...
Ficou definido logo de início que íamos trepar.
Pouco depois estávamos em Águeda, graças ao Vítor que foi quase sempre a liderar o pelotão.
Já em Águeda tínhamos a primeira subida até à rotunda da Famel, aliás, esta subida ainda era o aquecimento para o que nos esperava.
Depois de Águeda já estávamos junto ao rio, percorrendo os poucos quilómetros até ao início da Ecopista. Aqui tão perto de nós existem paisagens belíssimas...para quê ir até ao estrangeiro quando o nosso país tem uma Natureza assim:
Já na Ecopista:
Um dos vários túneis:
Que paisagem!
Para que servem as pontes? Para parar e tirar fotografias, se for numa zona como esta:
E cá está o fotógrafo a empatar o pessoal...que empata, esse tipo!
E pronto, o fotógrafo lá se despachou e recomeçámos a pedalar, passando por mais túneis e aproveitando a vista:
O que é bom acaba depressa e rapidamente chegámos ao fim da linha, na antiga estação de Paradela. E agora começa a pior parte do nosso treino...aliás, a pior...depende a quem se perguntar...
mas mais depressa ou mais devagar, a subida não se ficou a rir, pois todos subiram.
Naturalmente, não houve hipótese para o fotógrafo tirar muitas fotografias...de castigo, vai voltar a subir para as Talhadas todos os dias da semana...
Já no cimo:
Aqui já estávamos reagrupados:
e prontos para descer as Talhadas. E agora era altura de nos vingarmos...a melhor parte da subida é esta...a descida! Muito rapidamente, mas muito rapidamente mesmo, já estávamos de volta a Águeda. Como ainda era cedo, decidimos ir pela Cerâmica do Alto, Vale Grande, Boialvo até ao ponto de reforço...o café S. Pedro...mais conhecido como o café do Zé!
E bom...como estávamos um tanto ou quanto cansados, era altura de repôr energias e abrandar o ritmo.
e descontrair...
Mas ainda assim, dois fugitivos estavam a aumentar a distância para o pelotão:
Depois de Boialvo, o ritmo começou a aumentar...todos em silêncio...todos a estudar a táctica...
Na Candeeira, começaram os ataques! Nem os finais da Vuelta são assim tão emocionantes! A recta da Candeeira, que está a ficar famosa por estes sprints, foi feita a velocidades à volta dos 50 km/h e pontualmente até acima disso!
Mas os sprints eram só para chegar ao café do Zé a tempo do reforço líquido!
Mais um excelente treino e convívio do pessoal!
Até à próxima!

sábado, 26 de novembro de 2011

20 de Novembro - Mais um treino de Inverno.

No café, decidimos a fazer um treino mais com o objectivo de rolar. Ainda para mais, não tínhamos recuperado do jantar da noite de ontem. Hoje, S.Pedro estava a ameaçar que nos ia brindar com mais um pouco de chuva.
Lá arrancámos lentamente na direcção de Ancas.
Com um ritmo certinho, chegámos sem problemas nenhuns a Palhaça. Aqui fizemos um desvio para Cantanhede. Aos poucos, o ritmo foi aumentando. Sempre com alguém como camisola amarela, sempre a puxar pela malta. A chegar à rotunda da Masac, praticamente em Cantanhede, houve tempo para o Paulo Pereira “picar”...parece que os quilómetros não produzem cansaço nenhum a esta malta. Ainda para mais, ele trouxe a bike mais velha, ou por outra, a menos nova...
Ao chegar a Cantanhede, fomos na direcção da Adémia. O Ernesto tinha de estar em casa ao meio-dia, mas se tudo corresse bem, dava para chegar a tempo.
Bom, depois de Cantanhede, e depois de algumas subidas, depois de passar a rotunda que dava acesso à A17, o Paulo Pereira ainda fez uma corrida com um carro, daqueles que não é preciso carta para os conduzir...o chamado “papa-reformas” (desculpem os utilizadores destes carros, mas é a maneira mais simples de os identificar). O senhor de idade que o estava a conduzir deve ter achado muito estranho quando olhou para o espelho retrovisor e viu um doido de bicicleta. Deve ter pensado: “Ó Joxefina, quando rexebermox a noxa reforma vamox comprar uma bixicleta daquelax...anda o mexmo que o noxo carro e não gaxta gaxóleo...”
Com alguma risada à mistura, fomos estando atentos ao tempo (S.Pedro ainda estava a ameaçar...) e ao relógio para que o Ernesto chegasse a tempo.
Depois da Adémia, tomámos a direcção da fábrica da Cimpor...com algumas passagens de nível pelo caminho...mas com calma todos passámos sem problemas.
Depois de Coimbra, um colega ciclista (que já foi profissional de ciclismo...chegou a correr por uma equipa de Sangalhos) juntou-se a nós. Fomos conversando e pedalando. É o espírito de amizade entre os ciclistas. E assim vamos conhecendo pessoal.
Assim que passámos a fábrica da Cimpor, tivemos de fazer uma subida de 1 km, aproximadamente. Não era muito extensa mas o nosso novo amigo, o Paulo Pereira e o Vicente impuseram um ritmo extremamente alto...dividiu um pouco o grupo mas juntámo-nos todos no fim da subida. O Paulo e o Vítor Santos aproveitaram para atestar o cantil. Embora ainda não estivessem vazios era um oportunidade que não se podia deixar passar.
Fizemos alguns quilómetros na companhia do nosso amigo, mas na Pampilhosa ele seguiu para casa, no Buçaco, enquanto nós voltamos na direcção da Mealhada.
Agora já estávamos cansados por isso, o resto do treino, passando pela Mealhada e por Anadia, foi feita já a descomprimir...o ritmo abrandou um pouco..e já era altura!
Quando chegámos a Anadia, o Ernesto cortou para casa...eram 12h10m! Atrasámo-nos 10 minutos! Nada mau!
Depois de sairmos de Anadia, o Helder e o Vítor Santos seguiram na direcção de casa. Os restantes foram até Avelãs. No caminho lembrámo-nos que ainda tinha sobrado comida da noite anterior. Antes que se estragasse a comida, fomos até ao reforço. Aliás, ainda foi melhor que os reforços nas provas!
O pessoal estava completamente roto...no estômago!
Depois de repor energias, cada um foi para casa, almoçar e aproveitar a tarde de Inverno.
As melhoras para o nosso amigo Custódio que ficou em casa a recuperar de uma lesão, que sofreu no trabalho.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

19 de Novembro – Jantar de Natal 2011

No passado fim de semana, os Anadiabikers fizeram o seu jantar de Natal. Mais um excelente convívio.
Mas como a malta quer é fotografias, cá estão elas...não há muitas mais porque o fotógrafo estava cheio de fome e durante o jantar só houve tempo para comer e conversar.
Nos primeiros momentos do jantar, a altura ideal para trocar umas ideias e relembrar situações do ano que está quase a acabar:
Os médicos a operar o leitão:
o manjar! Com leitão, frango e muita conversa:
Depois do jantar, o pessoal fez uma visita ao Clube de Avelãs para o café e mais umas trocas de ideias...sobre bikes, futebol (o jogo para a Taça, por exemplo) e assim passou a noite a voar.
Um excelente serão passado na companhia de amigos. Para o ano há mais!